Bem vindo a AOMETO

Eleições

Eleições

Minhas Senhoras e meus Senhores,

 

Quero inicialmente, agradecer a cada um que permitiu que este ato acontecesse aqui hoje, que contribuiu com suas ações para que estejamos participando deste evento significativo para a Oficialidade Militar do Estado do Tocantins, demonstrando nossa Unidade e a Coragem, para que possamos lutar por nossos Direitos e Interesses.

Agradeço também a presença dos representantes das diversas categorias que compõem o serviço público tocantinense, que nos apoiam e, em quem nos apoiamos para também obtermos os nossos interesses.

Agradeço a presença de todos os colegas Oficiais Militares que puderam estar aqui presentes, engalanando este ato de Posse de nossa Associação.

Agradeço a Deus por nos manter vivos e nos dar a disposição suficiente para encaramos e vencermos os obstáculos, que viver nos impõe.

Sinto muita alegria em poder, mais uma vez, representar os Oficiais Militares tocantinenses, e agora por uma situação diferente da anterior, de que quando convocados, viemos eu e esta exitosa Equipe, passar pelo crivo dos associados como chapa única. Desta vez, tivemos a participação significativa de uma chapa, não menos exitosa em suas propostas e posições, fato que nos dá maior responsabilidade, não somente pelo que fizemos até aqui, mas pela credibilidade que foi consentida pelos 51.50% dos votos válidos obtidos em todas as nossas unidades militares.

 

Ainda em 2015, quando foram convocadas eleições para a Diretoria Administrativa da Associação de Oficiais Militares do Estado do Tocantins, fomos acionados pelo então Sub Chefe do Estado Maior, para assumir a condição de candidato juntamente com uma equipe a ser definida com a finalidade de cuidar da Entidade,

Naquele momento fiquei pensativo, pois  já estava com os pés na reta final da carreira, pensava em ficar mais livre para fazer o que mais gosto, que é viajar, conhecer outros lugares, outras culturas, proposta esta que ainda tenho em mente, mas ao perceber a dificuldade que havia entre os associados de assumirem a necessidade de administrar a nossa Entidade, abracei a proposta e aglutinamos as pessoas, que assim como eu também queriam manter viva a chama do associativismo como  uma das formas de se alcançar os objetivos que almejamos todos nós: qualidade de vida e progresso em nossa carreira.

Não foram poucas as dificuldades e as frustrações vividas nestes dois anos de administração, todas na tentativa de produzir efeitos positivos, conforme nossa proposta de administração da AOMETO.

Menor não foi o nosso entusiasmo, que dentro da visão consciente de responsabilidade, que nos permitiu assumir o ônus de mais uma missão, sendo suplantado pela motivação de cumprirmos mais uma etapa proposta, a melhor qualidade de vida e o progresso de nossa Classe.

 Ao assumir a administração, tivemos como primeiro embate, a negociação da revisão salarial dos servidores públicos incluído ai os militares que, por nossa característica e restrições legais, não poderíamos avançar com atos que venham a prejudicar a tranquilidade pública e a paz social. Porém, dentro de uma visão já iniciada pela administração anterior, procuramos junto a outros representantes dos círculos, a melhor forma de participar e nos representarmos, convergindo os interesses comuns aos nossos. Assim o fizemos, tomando por base a necessidade de assumirmos as posições de cabeça, para traduzir os pensamentos da oficialidade e os interesses dos militares perante as demais entidades, sindicatos e associações de servidores civis.

A AOMETO participou de todos os movimentos idealizados com fim de gerar melhorias aos servidores públicos do Tocantins.

Ao assumirmos em 13 de maio de 2015, encontramos ações já promovidas pelas entidades na busca de direitos, os quais o Governo não reconhecia, mas com a participação de nossos comandantes, Entidades e o especial interesse de nosso Governador em dar solução, foram negociados, mesmo com o Governo passando por situação de dificuldade. Tivemos a sensibilidade deste para as nossas causas. Isto se deveu ao empenho destes abnegados homens que por aqui passaram, ressalto aqui o TCEL CORSINI, como presidente da AOPMETO neste período.

Além destas situações comuns aos servidores, a Polícia Militar e o Corpo de Bombeiros, havia duas situações a lhes incomodar que eram as suspensões de promoção e das progressões horizontais, que ocorreram na entrada do atual Governo, fatos estes refutados imediatamente pelas entidades representantes dos militares estaduais, tendo a AOPMETO reagido com uma ação  juntamente com a ASMIR, outra de nossas parceiras nestas caminhadas.

Para vermos atender a estes nossos interesses, passamos a trabalhar conjuntamente na busca de convencimento dos magistrados sobre os prejuízos que estávamos tendo com estes atos promovidos sem qualquer fundamento e ainda, promovido de forma a extrapolar inclusive a Constituição Federal, quando se refere à hierarquia das normas. Para tanto, muitas foram as vezes em que nos encontramos com membros do Judiciário, para mostrar-lhes nossa situação, obtendo deles também este convencimento.

O governo ao perceber nossas movimentações e, ciente de que não poderia obter êxito em sua proposta inicial, se conduziu pela via do convencimento e aderiu aos que propunham as ações, tanto na manutenção das promoções quanto na concessão das progressões. Tendo parte destas situações sido resolvidas mais uma vez com a participação das entidades entre elas a AOMETO, que vem com suas ações pontuais e discretas, traduzindo os interesses da oficialidade em coisa concreta, como hoje temos nossos salários e nossas carreiras restabelecidas.

Muitas demandas ainda precisam ser vistas nestes campos, pois que temos muitos passivos a serem atendidos e estamos trabalhando nesta linha, para que tenhamos o convencimento e aguardamos as disponibilidades deste governo, que volto a frisar, tem tido a sensibilidade de entender o papel de nossas instituições e nossa missão para com a sociedade, convertendo as nossas demandas em prol de Organizações motivadas, mais eficientes e eficazes na proteção social e na boa atuação por maior desenvolvimento econômico e social do Estado do Tocantins.

Trabalhamos e esperamos que o Governo encontre as soluções, no sentido de admitir o mais breve possível, novos efetivos para as Corporações, praças e oficiais, pois sem homens, nenhuma organização será completa.

Credito aqui também aos nossos Comandantes Cel Glauber e Cel Yuri,nossos associados, a preocupação com este momento, que é de muita luta e estratégia, para encontrar meios e condições de atender, mesmo na crise econômica por que passa o país e o Tocantins não é diferente, a necessidade de recompletamento dos efetivos da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros Militar.

 Para esta nova fase de administração de nossa Entidade a Chapa Unidade e Coragem vem com a proposta de continuar no trabalho de representação da Oficialidade, na condução de ações que nos tragam melhores condições de trabalho, uma maior participação dos oficiais nas propostas de ações estratégicas nos campos afetos à Segurança Pública e Defesa Social, contribuindo com o incentivo à pesquisa e ao desenvolvimento de ações que venham a aprimorar o nosso trabalho no atendimento ao público, ENTENDENDO ISTO COMO UMA AÇÃO INSTITUCIONAL.

AS participações de nossa entidade em apoio às entidades nacionais que hoje nos representam, principalmente no Congresso Nacional, também foram fundamentais, para a obtenção de resultados positivos em situações que seriam de vulnerabilidade, quando nos mobilizamos para quebrar propostas que viriam a nos prejudicar  em nossos direitos e prerrogativas.

Faço também um agradecimento ao nosso Chefe do Estado Maior da PMTO, CEL EDVAN, que compareceu em apoio a vários atos, tanto de visita aos parlamentares, quanto de demonstração de força junto ao Congresso Nacional, quando reunimos a terceira maior delegação de militares estaduais em Brasília, só perdendo para o DF e Goiás, demonstrando nossa união e disposição para reivindicar nossos direitos, Situação esta promovida conjuntamente entre AOMETO, ASMIR, ASSPMETO e FEDERAÇÃO DAS PRAÇAS, que representa as associações de Cabos e Soldados.

Continuaremos firmes nesta linha, desejando que cada militar e mais ainda os Oficiais, estejamos imbuídos da missão que nos cabe neste momento de mudanças e fragilidades, em que nos encontramos, onde o Governo pressionado por outros setores da sociedade quer impor mudanças às prerrogativas dos militares, além das tantas restrições que já temos em relação aos demais trabalhadores do Brasil.

Para isto, de já, concito a todos a que nos mobilizemos de maneira eficaz para atingirmos nossa disposição de atuação político partidária, buscando de maneira eficiente e, consciente de nossas capacidades potenciais, a obtermos pelo menos, uma cadeira no Legislativo Federal e duas no Legislativo Estadual. Basta que tenhamos o espírito público e a disposição de enxergarmos em nossos quadros, pessoas capazes de merecerem os votos para os quais vamos lutar, para colocar nestas câmaras legislativas, pessoas que tenham a capacidade para nos representarem.

Somente com a participação de cada um seremos fortes como precisamos, para nos defender dos interesses que tentam contra a nossa dignidade e credibilidade junto à sociedade.

Continuaremos na busca de melhorias para todos, entendendo que um não caminha sem o outro e que será sempre a UNIDADE como CONSENSO que fará com que obtenhamos o sucesso que desejamos. Portanto senhoras e senhores, CORAGEM é do que precisamos para nos conduzir nesta caminhada e alcançarmos os nossos objetivos.

 

 

DEUS NOS AJUDE, MUITO OBRIGADO!!!